IMG_0992

Nossas Histórias – Xadrez: A arte que ensina a viver

Você sabe que tem xadrez no Arte e Cultura Barueri, né? 😊

Essa modalidade que parece tranquila, na verdade, está cheia de possibilidades e oportunidades de aprendizado, lazer e até carreira. E para saber mais sobre como o xadrez afeta a vida dos praticantes, nós fomos acompanhar o Fernando Barboza, professor desse esporte em Barueri e assistir uma de suas aulas – que rolaram em paralelo com o nosso bate-papo.

A história do Fernando, no programa, começou em 2010. Ele trabalhava em uma escola na Zona Leste de São Paulo dando aulas de xadrez e foi convidado para participar da implementação da modalidade em Barueri.

Sua experiência com o xadrez começou aos 11 anos de idade, na escola, incentivado pelo professor de educação física. O professor Waldomiro – de quem fala com muito carinho – viu seu potencial e passou a convidá-lo para participar de campeonatos locais. Os campeonatos e as vitórias passaram a se multiplicar e fazer parte da vida de Fernando. Com os campeonatos, ele conta que o xadrez passou a ser uma oportunidade não são de ganhar as medalhas, mas de fazer amigos e também viajar pelo Brasil, visitando o interior de São Paulo e outros estados. Das competições que participou, o professor ganhou alguns campeonatos importantes como Paulista sub-16 e sub-18, e o Campeonato Brasileiro de Xadrez. No começo da carreira no xadrez, Fernando deu aula no Clube de Xadrez de São Paulo, o mais antigo da América Latina. Hoje ele não dá mais aula no clube, mas continua participando dos Mini Open de vez em quando.

Quando perguntado sobre os benefícios do xadrez, Barboza cita alguns aspectos como entendimento de regras, raciocínio lógico, planejamento e até mesmo na leitura: “Grande parte do aprendizado do xadrez vem dos livros… aliás, foi o xadrez que me motivou a ler mais”. Mas não é só nos aspectos de conhecimento e cognição que o esporte pode ser fundamental, mas também na civilidade: “o esporte contribui muito no respeito com o próximo também, porque no começo das partidas, você deve cumprimentar seu oponente e dar as mãos. Isso é muito significativo”.

Aos alunos do programa, não hesita em motivá-los: “hoje eu incentivo eles, tento passar pra frente aquilo que eu recebi também”, conta Barboza enquanto comenta orgulhoso sobre os seus alunos com grandes potenciais no esporte. O professor conta ainda que muitos dos seus alunos mostraram grande melhora em várias áreas da vida, do aprendizado à depressão.

Para ele, a modalidade poderia ser mais amplamente implantada, principalmente considerando que é um esporte barato para ser praticado. Ainda falta incentivo no Brasil para que o esporte vá pra frente: “Poderia ser implantado nas escolas, né? As pessoas precisam ter oportunidade de provar o xadrez para saber os benefícios que ele pode trazer. O xadrez, acima de tudo, é uma arte que ensina a viver”, finaliza.

WhatsApp Image 2020-03-25 at 14.14.59

#Fiqueemcasa – Podcasts para alegrar a quarentena

Se você disser que tem passatempo melhor nessa quarentena do que ouvir podcasts, eu nego! Brincadeiras à parte o mundo dos podcasts chegou pra fazer a cabeça de amantes de conteúdo, conhecimento, cultura, notícias e tudo mais como nós! Dos 120 milhões de internautas brasileiros, 50 milhões já ouviram podcasts e esse número aumenta sempre por causa dos streamings de áudio.

Como esse barco é grande e cabe todo mundo, separamos aqui alguns diferentes, divertidos e cheios de esporte e cultura para vocês.

Na Quarentena

O Estadão lançou nessa semana o Na Quarentena, podcast que vai ao ar de segunda à sexta-feira, às 17h, com atualizações sobre o Coronavirus, mas também com dicas do que fazer em casa e como lidar com alguns dos desafios do novo cotidiano. Os episódios duram apenas 10 minutos e estão disponíveis nas plataformas Spotify, Apple Podcasts e Deezer.

 

Futebol Arte

Esse podcast do Globo Esporte convida celebridades do mundo das artes para comentar sobre futebol. Siiiim! Dá pra ser melhor que isso? Difícil!  Já teve Elza Soares, Samuel Rosa, Gilberto Gil e esses são só alguns dos nomes. Vai lá! Disponível em todas as plataformas.

Coisa de criança

A palavra de ordem aqui é CURIOSIDADE. “Por que chove?”, “Como se forma o arco-íris?”, “Por que só vemos estrelas à noite?” são algumas das perguntinhas que são respondidas para as crianças entenderem e explorarem ainda mais sua criatividade.

Quarentena

Por incrível que pareça, esse podcast não foi criado com esse intuito. Ele fala sobre coisas que só quem viveu os anos 80 no Brasil  – ou ama essa década – sabem. Fliperamas, sessão da tarde, MTV são alguns dos assuntos discutidos. Só de ter esse nome, não tinha como não estar aqui.

Conta pra gente! Você gosta de podcasts? Ouve no seu streaming? Qual seu episódio favorito de todos?

 

 

 

Texto Livros gratuitos

#FiqueemCasa – E-books gratuitos disponíveis durante a quarentena!

Empresas como Companhia das Letras, Amazon a L&PM liberam livros para você se divertir e aprender durante o isolamento

“Ah, eu não tenho tempo de ler!”. Em tempos de quarentena, essa desculpa não cola mais, mas talvez esse seja o momento de colocar em dia aquela recorrente meta anual: ler mais. A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, de 2016, revelou que o brasileiro lê, em média, apenas 2,43 livros por ano e a principal desculpa é aquela que falamos agora a pouco: 43% alegava falta de tempo.

 

Mas, a leitura não é só pra aprender e se divertir. Ela tem um efeito sobre o lado cognitivo, desenvolvendo áreas do cérebro que aprimoram o desenvolvimento linguístico, raciocínio e poder de síntese. Além disso, a leitura é importante para aumentar o repertório cultural, de vocabulário e até mesmo o pensamento crítico.

 

Foi pensando em oferecer um passatempo de qualidade e afastar um pouco a galera das redes sociais que algumas editoras e distribuidoras tiveram a ideia de disponibilizar alguns livros de graça. Dá uma olhada em algumas dessas iniciativas!

 

Companhia das Letras

 

Até 6 de abril, a editora vai disponibilizar livros gratuitos no Google Play ou na Amazon. Alguns dos títulos disponíveis são: “O jardim secreto”, de Frances Hodgson Burnett; “Memórias Póstumas de Brás Cubas; “A noite de espera”, de Milton Hatoum; entre outros. Para os links, acesse: https://bit.ly/33E2tqe

 

L&PM

 

A editora L&PM vai disponibilizar um livro gratuito por dia para baixar. Há vários e-books disponíveis também a preço baixo no site. Para saber qual o livro do dia, acesse o link: https://bit.ly/2WCuey

 

Amazon

 

A plataforma de e-commerce, Amazon, possui uma sessão de livros gratuitos no site! São livros de literatura brasileira e mundial, além de HQs e mangás, em versões português e inglês. Acesse para conhecer outros títulos: https://amzn.to/33E97Nr

 

E nós também queremos que você possa aprender, passar o tempo e se divertir com a leitura. Por isso, nós disponibilizamos um link com vários títulos que vão fazer você ficar ainda mais ligado na literatura. Para acessar aos livros, em PDF, acesse:

Texto #FicaemCasa

Conheça a campanha “Fica em Casa”

Iniciativa motiva corporações e artistas a oferecerem entretenimento e conhecimento dentro de casa.

Com o avanço do “Coronavírus”, vírus causador da doença Covid-19 que se espalhou pelo Brasil – especialmente em São Paulo – e pelo mundo, diversos brasileiros iniciaram quarentenas voluntárias com o objetivo de permanecerem seguros em casa e consequentemente diminuir a propagação do vírus.

A quarentena voluntária era opcional. Ficava em casa quem conseguisse e quem gostaria. Mas por que quem consegue? Muitos brasileiros não conseguem fazer seus serviços de casa, como vendedores de varejo, barbeiros, caixas, entre outros. Por isso, nesta terça-feira, 24, o governador do estado de São Paulo, João Doria, declarou quarentena oficial de 15 dias, no qual apenas hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, transporte público, transportadoras e armazéns, empresas de telemarketing, petshops, deliverys, supermercados, mercados e padarias, limpeza pública e postos de combustível poderão permanecer abertos.

Mas, antes mesmo do decreto do governador do estado de São Paulo, muitos artistas, companhias de streaming, instituições de ensino e tvs por assinatura entraram na campanha “Fica em casa”, disponibilizando diversos serviços e conteúdos gratuitos.

 

Festival Fico em Casa BR e Festival Música em Casa

O festival irá exibir online mais de 60 apresentações inéditas de 76 artistas e grupos. A iniciativa foi inspirada no “Festival Eu Fico em Casa”, criado em Portugal para colaborar com a não propagação da COVID-19 e incentivar o público a valorizar artistas e cultura virtualmente.

O evento acontecerá entre os dias 24 e 27 de março e as apresentações serão a partir das 13h30 a cada meia hora. As transmissões começarão pelo perfil de cada artista ou banda no Instagram; porém, todas elas serão retransmitidas pelos perfis oficiais do @FestivalFicoemCasaBR – Instagram, Facebook e Youtube – e no final, as apresentações serão salvas para quem quiser assistir depois.

Assim como esse, está rolando o Festival Musica em Casa, que tem a participação de artistas como Sandy, Michael Telló, Projota, entre outros artistas e bandas de música.

Esse festival começou no dia 20 e vai até o dia 29 de março com 5 shows por dia. Tudo online e ao vivo no @festivalmusicaemcasa.

 

Instituições de Ensino

Diversas instituições de ensino, como Udemy, FGV, Harvard, entre outras, disponibilizaram cursos online gratuitos com o objetivo de fazer as pessoas permanecerem em casa e, ao mesmo tempo, aprenderem algo novo.

Confira os links para alguns sites que estão oferencendo os cursos gratuitos;

Udemy:https://www.udemy.com/courses/search/?q=cursos%20gratuitos&src=sac&kw=gratuito&p=2&price=price-free

FGV: www5.fgv.br/fgvonline/Cursos/Gratuito

Harvard: edx.org/school/harvardx

 

Tvs por assinatura e Companhias de Streaming

A Sky, Claro, Spcine Play, GloboPlay, Vivo e Oi liberaram canais, conteúdos e dias gratuitos na plataforma ou no plano de televisão.

20191214_174223

Você sabe como é a vida de um profissional de teatro?

É inevitável notar como o teatro se tornou uma grande porta de entrada para a televisão e cinema. Atores como Lazaro Ramos, Fernanda Montenegro e José Wilker são exemplos de grandes nomes que iniciaram sua carreira nos palcos para alcançarem o sucesso na TV e no cinema.

Porém, não são todos que almejam mudar dos palcos. Patrícia Radesca, professora de teatro no projeto Arte e Cultura Barueri, é um exemplo disso: “O meu objetivo não é ser ‘estrela’, e sim levar a arte para as pessoas”, explica.

Ela também conta que possuir uma formação em teatro é muito mais do que apenas um diploma, uma formalidade, é ter mais conhecimento teórico e técnico. “Quanto mais conhecimento, melhor. A diferença se dá na preparação de cada um; quanto mais preparado você estiver, melhor será seu desempenho profissional”, conta a professora.

Infelizmente, hoje em dia, o artista de teatro sofre com o momento pelo qual a profissão está passando. Cada vez mais desvalorizados, os artistas passam por situações desumanas, como cachês baixos e condições precárias de trabalho: “a maioria das pessoas acham que ser ator não é uma profissão e sim um hobby, consequentemente isso faz com que nosso trabalho seja muito desvalorizado”, completa a professora “Infelizmente viver de arte no Brasil é bem difícil”.

As empresas ainda preferem investir em grupos e espetáculos com atores conhecidos na mídia, a fim de garantir mais sucesso, reconhecimento e público nos espetáculos. Por conta disso, Patrícia faz um apelo: “vamos olhar mais para o conteúdo das peças e para nossos atores que tanto se dedicam”, finaliza.

gettyimages-1205176475

Oscar 2020: Viva à internacionalização da Arte

 

Esse Oscar veio com um gostinho agridoce. Agridoce talvez seja um exagero, mas claro que queríamos que o Brasil fosse o representante vencedor na categoria Documentário. Não foi dessa vez. Mas Petra Costa e produtores marcaram presença brasileira no tapete vermelho e pontuaram o Brasil na categoria – em que, inclusive, tivemos nossa última indicação.

Maaaaaaaas nosso coração apaixonado pela arte chora de emoção com a grande surpresa que foi PARASITA, o maior vencedor da noite e que levou também o principal prêmio: o de melhor filme.

Essa é a primeira vez na história que um filme de língua não-inglesa ganha a estatueta pela principal categoria . O feito é marcante. Em 92 anos de Oscar isso nunca tinha acontecido e a própria premiação já foi criticada dezenas de vezes principalmente considerando que a Academia de Cinema muitas vezes prioriza a indústria americana de filmes.

E assim abrimos a observação: a indústria americana de cinema tem flexibilizado seus critérios para filmes estrangeiros?

Vejamos. Há alguns anos alguns filmes e diretores estrangeiros são indicados em categorias importantes como melhor diretor e melhor filme. O exemplo mais emblemático e mais recente foi Roma (2018), que era um dos grandes cotados para esse prêmio. Mas há um porém nisso. Normalmente esses filmes ou diretores são aqueles que já flertam em algum grau com Hollywood, caso de Guilhermo del Toro, Alfonso Cuarón, e um ou outro europeu. No caso dos filmes, A vida é Bela (italiano), Philomena (inglês), Chocolat (inglês). Agora, um filme coreano parecia estar a anos luz desse hall.

O que temos visto de dois anos pra cá é sem precedentes e já vem sendo evidenciado o movimento de inclusão que o Oscar tem feito, não só de afro-americanos, mulheres, mas também imigrantes e internacionais. Não poderia se imaginar que o salto seria tão alto para esse último grupo.

Você sabia - Katharine Hepburn-01-01

Você sabia? Katharine Hepburn é a maior ganhadora do Oscar

Katharine Hepburn é a atriz – entre homens e mulheres – que ganhou o Oscar mais vezes. No total são 4 estatuetas.🏆🏆🏆🏆
Ela ganhou como “Melhor Atriz Principal” nos filmes Manhã de Glória (1933), Adivinhe Quem Vem Para Jantar (1967), O Leão no Inverno (1968) e Num Lago Dourado (1981).
Fora essas conquistas, ela já foi indicada 12 vezes para “Melhor atriz principal”, nunca para coadjuvante. 👸

cinema

Façam suas apostas: o cinema vai acabar?

Desde 2019, burburinhos no mundo da cultura pop e artes surgiram sobre a vitalidade e força das salas de cinema na cultura mundial. E a grande causa dessa provocação foi a crescente no número de pessoas – especialmente influencers do mundo audiovisual – que começaram a profetizar um futuro assustador: o fim das salas de cinema.

Nós, amantes do cinema e adeptos da experiência de assistir aos filmes nas telonas, fomos procurar as evidências reais de que isso pode mesmo estar acontecendo. Veja só o que descobrimos:

AS BILHETERIAS REALMENTE TIVERAM A MAIOR QUEDA EM 2019

Em 2019, as bilheterias americanas tiveram uma queda de 4%, de acordo com uma pesquisa da Comscore (empresa americana de análise de internet) em relação a 2018. Essa é a queda mais significa em pelo menos cinco anos. Os números foram contabilizados até dezembro, incluindo, inclusive, uma das grandes promessas de bilheteria de 2019: “A ascensão Skywalker”.

 

MUITAS SALAS DE CINEMA NO BRASIL

Em 2018, o Brasil fechou o ano com o maior número de salas de cinema desde os anos 70, de acordo com dados da ANCINE (Agência Nacional de Cinemas). Isso mesmo!  Em 2019, foram 172 milhões de brasileiros nas salas de cinema, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. Em valores totais, 2019 foi o melhor ano para as bilheterias no país!

 

MAS AINDA HÁ MUITO PARA MELHORAR!

No Brasil, a maioria das salas de cinema ainda se concentram no sudeste, apesar de o melhor desempenho em número de sala, número de vezes que vai ao cinema e número de habitantes com acesso ao cinema estar no Distrito Federal. E Barueri, aparece nessa lista! O Município está em 3º lugar na lista de cidades com mais salas por número de habitantes em todo o Brasil.

EM HOLLYWOOD, A CONVERSA É OUTRA

Pois é, uma onda de artistas hollywoodianos têm se manifestado preocupados com o aumento do streaming especialmente para os filmes independentes. Isso porque, manter um filme em uma sala de cinema tem um custo, e sem bilheteria, eles não são interessantes para a experiência em tela grande. Além disso, normalmente, os filmes menores chegam mais rápido nas plataformas de streaming, o que pode desencorajar as pessoas a sair das suas casas e pagar por um ingresso.

Muito também têm se falado sobre a qualidade da produção audiovisual em plataformas como Netflix e Amazon Prime. Os conteúdos são bons, acessíveis e já têm um respaldo dos críticos de cinema – vide a quantidade de nomeações para o Oscar e Emmy (duas maiores premiações do audiovisual).

Mesmo assim, é interessante notar um caminho inverso que acontece no momento: Netflix anda levando seus conteúdos para as salas de cinema. Será que isso significa que as salas estão salvas?

O QUE A HISTÓRIA NOS DIZ SOBRE MÍDIAS?

Para quem ama ir na sala de cinema, assistir estreias em primeira mão, no escurinho, e tudo mais… não se preocupe, nós queremos te ajudar a dormir tranquilos. No século XX, mídias de áudio e vídeo começaram a aparecer e desde então não pararam de se transformar. O rádio foi a primeira delas e apesar de ter tido momentos tenebrosos no começo do século XXI, formatos como podcast e rádio online, salvaram a mídia de cair no esquecimento. O Jornal achou seu formato online.  A TV está achando sua forma de sobreviver com programas ao vivo e interação simultânea, e assim por diante. Sem falar da vitrola, máquina fotográfica, entre outras. Ou seja, nenhuma mídia morre, e mesmo que seja adaptada, a experiência vai sobreviver!

 

 

20191004113546_1200_675_-_cavaleiros_do_zodiaco

Você conhece os maiores animes da história?

Nosso curso de mangá e caricatura nos inspira a sempre procurar saber mais sobre a cultura japonesa e as influências do mangá em outros produtos culturais e arte. É impossível não pensar na influência dessa arte sobre o “anime”, uma espécie de mangá animado que ganhou o mundo com desenhos populares como Pokémon, Digimon e Dragon Ball Z.

Então, o Arte e Cultura Barueri decidiu separar aqui os cinco maiores animes da história para que você entre no clima com a gente. Conhece algum desses?

CAVALEIROS DOS ZODÍACO

A série foi exibida no Japão nos anos 80 e ganhou prêmios como melhor animação daqueles anos. No Brasil, foi exibida nos anos 90 e chegou a influenciar a criação de veículos de comunicação especializados em mangás e animes, além de incentivar a cultura de consumo desses itens no país. A jornada acompanha Seiya, um jovem que, após uma viagem para a Grécia, incorpora os poderes do cavaleiro de Pégaso.

DEATH NOTE

Série da Netflix? Nada disso! Death Note é um dos animes mais conhecidos no mundo e foi adaptado diversas vezes, sendo a adaptação mais recente de 2017, além de jogos e o mangá original que inspirou todas essas obras. Nele, Light descobre um caderno sobrenatural em que, se o nome de alguém for escrito, a pessoa morre. Sua ideia é eliminar as pessoas más do mundo, mas é contrariada pela ação de um detetive.

NEON GENESIS EVANGELION

O anime dos anos 90 conta a história de um adolescente de 14 anos, em uma Tóquio apocalíptica, que é recrutado por uma organização para evitar o fim da humanidade.  A obra possui cinco filmes baseados nela e um jogo de videogame.

DRAGON BALL Z

Ainda impacta as novas gerações, mas na verdade, seu último episódio foi ao ar em 1996. Ao todo a série conta com 291 episódios e já baseou séries, livros e filmes. No enredo, o jovem Goku é o escolhido como defensor do planeta terra e junto com seus amigos se envolve em batalhas épicas contra as grandes ameaças. 

NARUTO

Quem não conhece, pelo menos o visual do ninja japonês loiro que ganhou o coração dos brasileiros, provavelmente, não tem muito contato com o mundo dos desenhos animados no Brasil. Exibido em TV aberta, essa foi uma das grandes sensações dos anos 2000. Naruto é a terceira série de mangá mais vendida na história, com um montante de 200 milhões de cópias. A história acompanha Naruto em sua jornada de crescimento e desenvolvimento de seus poderes como ninja, no que é conhecido como narrativa “coming-of-age”, ou seja, que mostra a forma como o personagem vai se moldando ao longo do tempo.