A importância do lazer na vida da sociedade

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Aqui na IMELC falamos bastante sobre os aspectos transformadores da cultura e do esporte. Mas tem uma outra ferramenta transformadora nos nossos projetos que tem um papel fundamental na vida da sociedade: o lazer. E pensando nisso, conversamos com uma pessoa que foi suuuuper especial e participativa no Rua da Gente 2019: o tio Meleca!

O tio Meleca é, na verdade, Augusto Naliato. Sua história com a promoção da recreação, lazer e da brincadeira começou dentro da própria família, com os irmãos que já trabalhavam com a arte do brincar: “eles me falavam sobre as pessoas e os lugares que eles conheciam, e isso foi me animando para seguir o mesmo caminho”, conta. Aos 14 anos, o que era só admiração pelo trabalho dos irmãos se tornou uma oportunidade real de se juntar ao trabalho para promover a sua primeira festa e começar a missão de levar alegria e a experiência de brincar para as pessoas. Desde então já são 14 anos de carreira.

E quem pensa que brincar é uma arte que só precisa de dom e força de vontade para acontecer, se engana: “durante esses anos eu já fiz vários cursos de montagem de brincadeiras, contação de histórias, especializações para faixas etárias”, diz o recreador. Mas além disso, um dos sonhos para se profissionalizar ainda mais, é o curso de Educação Física – “mas voltado para a área de recreação mesmo”, completa.

E existe mais do que a parte de brincar na atuação da recreação. Tio Meleca conta que a montagem dos eventos e da produção para que eles aconteçam, também necessita de apoio da recreação com som, montagem e outras necessidades que fazem o trabalho ir além da farra com a criançada: “eu gosto muito dessa parte de fazer as coisas para que o evento aconteça, além de também pegar a criançada para brincar e fazer a festa ser sensacional”, explica o recreador.

Como falamos no começo do texto, o tio Meleca fez parte do Rua da Gente 2019, um projeto que levou atividades esportivas, de lazer, e culturais para os quatro cantos da cidade durante quatro meses de projeto. E, apesar de trabalhar há muitos anos com a área da brincadeira, ela conta que a experiência com o público era diferente: “levar a recreação para todos, sem distinção, com o Rua da Gente, foi muito legal porque a resposta do público era sensacional. Por, muitas vezes, não ter atividades assim sempre, as pessoas queriam aproveitar o máximo possível”, relembra.

Em tempos de digitalização e do apego das crianças com conteúdos on-line, é cada vez mais importante a atuação em prol de trazer de volta o prazer de brincar para fora das telas, trazendo interação social e, até mesmo, atividade física. Augusto também explica que, no caso de crianças sem oportunidade de acesso aos meios digitais, promover a brincadeira não deixa de ter sua importância: “[as crianças que não estão inseridas na cultura digital], muitas vezes, não tem a chance de fazer outras atividades fora de casa… então é essencial levar cultura e expressão para elas”.

Nesse momento de pandemia, os benefícios do contato presencial afetou o trabalho e, como todas as atividades presenciais, foi necessário passar as atividades para o ambiente on-line, e a reestruturação das atividades, no começo, não foi fácil, principalmente quando se trata das atividades que necessitam de espaço e interação física. Mas com um pouquinho de adaptação no ambiente on-line, deu certo: “hoje fazemos atividades de caça objetos, qual é a música, stop, danças”, conta. “Os pais estão adorando porque assim os filhos conseguem interagir com os amigos”, finaliza.