Nossas Histórias – O caminho da pequena artista

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Aqui no Nossas Histórias, a gente mostra como a arte pode ser um caminho para transformar o dia a dia de crianças, jovens e adultos em uma vida mais colorida, mais criativa e mais feliz. E por isso, hoje vamos falar sobre a história da Melissa, a pequena desenhista que tem cada vez mais mostrado que a arte a escolheu… e vice versa. 

Ela tem 10 anos e começou a ter aula de desenho há um ano e meio. Em seu desenvolvimento na arte, Melissa já começa a mostrar seus primeiros interesses e preferências – seus estilos favoritos são mangá e realismo. “Ela já demonstra interesse também em fazer faculdade de artes e se tornar uma artista profissional. Ela tem um projeto de montar uma loja virtual para vender seus desenhos e projetos artesanais”, conta a mãe, Ronilda.

O talento da jovem nas atividades manuais não fica só na arte de entrelaçar o lápis pelos dedos para embelezar o papel. Ela também pratica – e tem se mostrado muito boa – em fazer amigurumis, técnica de crochê japonês que, pela sofisticação e beleza da trama, se tornou uma arte muito requisitada na mundo do design. E esse apreço vem de família: “o crochê ela aprendeu comigo, e eu aprendi com a minha mãe. Ela queria muito, e hoje ela consegue fazer com a mão direita mesmo sendo canhota. Eu ainda ajudo ela a fazer algumas partes, mas a maior parte é ela quem faz”, diz a mãe.

A mãe conta que, quando chega das aulas, Melissa se junta, faz aulinhas e ensina as técnicas para os amigos. Além das aulas com a professora Paulinha – que é uma grande incentivadora do talento dos alunos – a pequena também gosta de buscar nos livros suas inspirações e desenvolvimento: “ela tem livros de desenho de mangá, que ensinam a fazer, por exemplo,  corpo e rosto, e ela gosta muito de ficar vendo para aprender cada vez mais”, conta Ronilda.

A Melissa é também uma ótima estudante. Com o incentivo de uma professora, a jovem conseguiu uma bolsa em uma importante escola da região. E então, começou a fazer uma coisa curiosa: passou a vender alguns de seus desenhos para os colegas de classe. “Eles mandavam fotos e a partir da foto ela fazia desenhos e cobrava R$ 10,00 pela arte”, diz a mãe. Além disso, Melissa começou a se desenvolver em pintura em tela e tem até uma encomenda de um quadro. Por ainda estar no começo, ela estava contando com a ajuda da professora Paulinha, e como tudo nos últimos meses, a atividade foi interrompida. Seu desenvolvimento nos desenhos realistas, que estava começando quando aconteceu a pandemia da Covid, também está em hiato, apenas esperando para continuar e mostrar a habilidade da artista.

Apesar da importância das artes para mostrar a criatividade, coordenação e talento da jovem, sua mãe conta que o desenho ajuda em um aspecto ainda mais importante da vida da artista: o controle da ansiedade. “Ela é ansiosa, então essa arte trabalha muito isso nela e ajuda até na integração na escola”.  Melissa, que também tem uma dificuldade na visão, inspira a todos ao mostrar que dificuldade nenhuma acaba com a sua motivação porque, quando o amor é sólido, não tem nenhum obstáculo que não dê para ultrapassar.