IMELC lança plataforma Ingresso Social de acesso à cultura para crianças e jovens de projetos sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
A entidade vai levar os atendidos para experimentar arte e cultura em peças de teatro, espetáculos de dança e muitos outros

Essa quarentena pode ter sido um balde de água fria para a cultura, mas depende do ponto de vista. A IMELC lança nessa semana o projeto Ingresso Social, uma plataforma colaborativa que possibilitará levar crianças e jovens atendidos por projetos sociais a experiências únicas que vão podem mudar a visão de mundo e da arte para quem precisa.

Com know-how e portfólio consistente na área de gestão de eventos e programas de esporte e cultura, há 10 anos a IMELC promove oportunidade de acesso, prática e transformação através da vivência com o esporte e a cultura. E por isso, o próximo passo nessa jornada foi intuitivo: fazer um projeto gerido e executado pela própria entidade e que pudesse ser sustentável e contínuo.

O ingresso Social é uma plataforma colaborativa que concentra recursos, entidades beneficiárias e parceiros culturais em um só lugar para conectar as pontas e beneficiar quem é a razão desse projeto existir: crianças e jovens com pouco ou nenhum acesso. A plataforma seleciona, através de um processo de checagem de idoneidade, entidades que queiram beneficiar seus atendidos e os conecta com atividades culturais que sejam apropriadas para a faixa etária e tenham cunho educativo, histórico e cultural. E o mais importante: a plataforma promoverá os passeios fornecendo transporte, alimentação e monitoria para garantir um passeio seguro e muito divertido.

O acesso à cultura e arte no Brasil não é fácil. Mais de 12 milhões de brasileiros nunca foram ao teatro e 10 milhões nunca foram ao museu, segundo dados do Instituto J.Leiva. E de acordo com dados do IBGE os jovens são um dos grupos sociais mais afetados pela falta de oportunidade de contato com o maravilhoso mundo da arte e cultura, que tem o potencial de incentivar a criatividade, o processo de aprendizagem, as funções executivas (como trabalho). 

Além disso, incentivar a cultura nas fases de crescimento e amadurecimento também tem impacto no futuro da sociedade, garantindo e alimentando novos talentos para a cultura brasileira e fomentando o mercado cultural, responsável por cerca de 4% do PIB brasileiro.

Primeira ação

A primeira ação do projeto aconteceu no dia 7 de setembro e levou 10 crianças para um sessão de teatro Drive-In de “Frozen 2”. Depois de meses em casa, a criançada se divertiu ao som das músicas que embalam a cultura pop infantil dos últimos anos, como “Livre Estou”. Lanchinhos, almofadas, máscaras e álcool gel foram oferecidos as crianças, que se mantiveram dentro dos carros, fazendo sempre uso da máscara. A noite, que baixou fria e perfeita para o espetáculo “congelante”, reservou algumas surpresas para os pequenos, como uma chuva de neve, jogos de luzes e os personagens mais queridos da franquia cantando ao vivo e amplificados através da frequência FM dentro dos carros.

Para que isso acontecesse,  todas as crianças da ação social da escola de samba Dragões da Real foram testadas para Covid-19 horas antes do espetáculo e se mantiveram em espaço controlado até o início da apresentação. Todos os monitores e profissionais que acompanharam a ação também foram submetidos a testagem, rendendo um dia de cultura e lazer para os pequenos, com muito cuidado, responsabilidade e, o que eles estavam mais preocupados: diversão!